A alimentação e sua influência sobre a Saúde Mental

A saúde mental se refere ao nosso equilíbrio e bem-estar psicológico e emocional.

Ela se relaciona com toda a nossa forma de pensar, de fazer escolhas, como nos comportamos e como nos sentimos.

Já se perguntou como a alimentação e a nutrição afeta a saúde mental?

A alimentação pode influenciar na saúde mental, como na saúde num geral.

Se parar para pensar, é através da alimentação e suplementação que obtemos os nutrientes necessários para o bom funcionamento do organismo num todo.

Portanto a saúde do cérebro depende de aminoácidos, gorduras benéficas, e vitaminas, minerais e antioxidantes para um funcionamento regular.

Estudos mostram uma série de nutrientes associados com a saúde do cérebro, incluindo o ômega-3, vitaminas B (especialmente folato e B12), colina, ferro, zinco, magnésio, metionina S-adenosil (SAMe), vitamina D e aminoácidos.

Além disso, estudos têm mostrado que os probióticos podem melhorar os níveis de ansiedade, percepção de estresse e perspectiva mental.

Alguns pesquisadores descobriram que o risco de depressão é de 25 a 35% menor quando dietas “mediterrâneas” são consumidas, em comparação com as dietas “ocidentais”, por causa do resultado do elevado número de legumes, frutas, grãos não processados, frutos do mar e quantidades limitadas de carnes magras e produtos lácteos.

Normalmente, dietas tradicionais também não contêm alimentos e açúcares processados e refinados, que são abundantes na dieta “ocidental”.

Muitos dos alimentos nas dietas tradicionais são fermentados, e atuam como probióticos naturais.

Uma dieta saudável, como a mediterrânea, “traz nutrientes fundamentais para o cérebro, como diversos minerais, vitaminas, aminoácidos essenciais e ácidos graxos essenciais. São importantes porque têm efeitos antioxidantes, anti-inflamatórios e neuroprotetores, que ajudam a combater melhor as consequências negativas do estresse.

Mas a carência de nutrientes essenciais tem repercussões ao cérebro das pessoas em geral.

Assim, o déficit de algumas vitaminas, como o folato e a vitamina B12, se relaciona com um estado de ânimo depressivo e com a deterioração cognitiva.

Conheça um pouco mais desses nutrientes essenciais para a saúde mental

Vitamina D: a produção natural na pele é a principal fonte da vitamina D decorrente da exposição ao sol.

Vitaminas do complexo B:  alimentos de origem animal, como carnes, ovos, leites e derivados. No caso da vitamina B9, pode ser encontrada em leguminosas (feijão, lentilha, ervilha, fava), nozes e vegetais verde escuros.

– Triptofano: cereais integrais, como aveia e quinoa, leguminosas, castanhas e nozes e também em suplementos nutricionais.

– Zinco: semente de abóbora, soja, castanhas, amendoim, amêndoas e alimentos de origem animal.

– Magnésio: aveia, castanhas, nozes, banana, espinafre, alcachofra, beterraba e cereais integrais.

Ômega 3: peixes de água fria como salmão, sardinha e atum.

O consumo desses nutrientes benéficos para a saúde mental, é importante que eles sejam consumidos em quantidades apropriadas para resultados efetivos, por isso sempre procure um profissional especializado.

Gostou deste artigo? Aproveite para deixar seu comentário abaixo!

Nutricionista: Thaís Alves
CRN: 52770

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *