Os primeiros passos para iniciar o RH 4.0

Rh 4.0

O RH 4.0 é um movimento que vem se estruturando nos últimos anos, acompanhando a evolução do mundo empresarial, com a inserção das novas tecnologias e o surgimento da chamada indústria 4.0.

Em suma, esse modelo de RH utiliza recursos tecnológicos para desenvolver as suas atividades de forma otimizada.

Assim, tarefas muito burocráticas, como somar as horas trabalhadas pelos colaboradores, são feitas rapidamente.

Ao mesmo passo, as estratégias com foco nos funcionários são intensificadas, tendo em vista que há mais tempo para isso.

Mas como dar os primeiros passos para iniciar o RH 4.0 em uma companhia? Para que você compreenda mais sobre o tema, conversamos com a Louiseanne Lima, especialista na área de Recursos Humanos no escritório Marcos Martins Advogados.

Entenda sobre a estrutura do RH 4.0

Louiseanne explica que para entender a estrutura do RH 4.0 é preciso compreender sobre a evolução do RH nas empresas.

Segundo a especialista, “o RH passou de uma área de departamento pessoal, que cuidava apenas das rotinas e processos burocráticos, depois migrou para um foco em gestão de talentos e em como as empresas poderiam reter os high performances, para agora falarmos em ‘employee experience’, que nada mais é do que a experiência do colaborador dentro da empresa”.

Logo, segundo Louiseanne, “precisamos refletir que não se trata apenas de uma revolução tecnológica, mas sim da tecnologia servir como base e apoio para uma revolução muito maior, que é a transformação cultural nas empresas, para que seja implantado um mindset de RH 4.0. Não adianta de nada implantarmos tecnologia e ferramentas se não trabalharmos a cultura”.

Veja como a pandemia de Covid-19 impulsionou a área

A pandemia de Covid-19 tem feito com que mudanças profundas sejam causadas na sociedade e também nas organizações.

De acordo com Louiseanne, nas organizações “sem a possibilidade do contato físico, ficou evidente o uso da tecnologia e, principalmente na área de RH. Empresas que antes achavam ser impossível atuar remotamente, começaram a perceber como as ferramentas e tecnologia poderiam ser úteis para várias ações. Companhias enxergaram como podem engajar os colaboradores utilizando, por exemplo, o learning experience, gamefication, plataformas de LMS, entre outras.”

A especialista também acredita que a pandemia popularizou o home office e que essa prática seguirá em alta, mesmo quando pudermos retornar à normalidade de nossas rotinas.

Em suas palavras, “as pessoas têm mais flexibilidade, mais autonomia e tornam-se mais auto suficientes. É uma excelente forma de ampliar o empowerment e ter times mais engajados e mais produtivos. Enxergo que o pós-COVID será uma continuidade dessas transformações. Muitas empresas viram ganhos nesse cenário e entendo que foi o pontapé inicial. Daqui pra frente, a ideia é que isso se consolide cada vez mais”.

O processo de estruturação

Louiseanne comenta que “a primeira coisa que precisamos trabalhar em uma empresa, ao estruturar um RH 4.0, é a transformação cultural e implantação desse mindset”.

Ou seja, é preciso reestruturar a cultura organizacional, antes mesmo de fazer um grande investimento em soluções tecnológicas.

É sabido que a cultura se dissemina pelo exemplo.

Assim sendo, Louiseanne analisa: “essa transformação é um processo longo, assim como qualquer mudança cultural e de comportamento. Portanto, recomendo que seja iniciado um trabalho de sensibilização dos executivos, para que depois seja cascateada por todos os níveis da empresa”.

Depois do processo ser iniciado, o RH precisa atuar como um agente da mudança, conectando essa estratégia e o negócio.

Quando isso ocorre, de acordo com Louiseanne, “há alinhamento entre as práticas, processos, forma de atuação, comportamentos e todos os aspectos culturais dentro da empresa passam a estar conectados com a transformação”.

Conheça os 4  erros mais cometidos na criação do RH 4.0

Ao implementar um RH 4.0 nas empresas, existem alguns erros que são comuns de serem cometidos. Louiseanne explicou alguns dos principais deles. Veja!

1. Achar que basta contratar ferramentas tecnológicas para ter um RH 4.0

Louiseanne é enfática ao explicar que o RH 4.0 “é uma transformação, e como transformação envolve uma fase anterior de mudança (aspectos externos) e transição (caminho para se alcançar a transformação)”. 

Logo, de nada adianta só contratar softwares e soluções tecnológicas para implementar o RH 4.0.

2. Ter um pensamento imediatista

As transformações culturais levam tempo para serem assimiladas por todos os envolvidos, como enfatiza Louiseanne.

Assim sendo, não se pode ter um pensamento imediatista para implementar o RH 4.0.

“Como qualquer transformação, é um processo lento e que deve ser dividido em fases”, pondera a profissional.

3. Achar que o RH 4.0 é um processo top down

A especialista Louiseanne reitera que “cada vez mais precisamos co-construir, envolver as pessoas nos processos de construção, compartilhar as decisões, fazendo com que todos sintam-se parte daquilo. Isso gera senso de responsabilidade e engajamento”

De tal maneira, o RH 4.0 não pode ser visto como um processo top down.

Ele não deve envolver apenas a alta cúpula administrativa da organização, mas sim todos os colaboradores que fazem parte da companhia.

O RH 4.0 tem grande relevância para as empresas nos dias de hoje.

Segundo Louiseanne, para que esse conceito se concretize “precisamos cada vez mais deixar de ser visto como área de suporte e apoio e precisamos acompanhar as mudanças tecnológicas, bem como as transformações do mercado em si”.

A profissional ainda comenta que “quem não acompanhar essa transformação e promover mudanças significativas na própria área de RH, dificilmente vai conseguir atuar nesse papel, vai ser deixado pra trás”.

Você não pretende que a sua empresa fique para trás, não é mesmo? Por isso, investir no RH 4.0 é tão importante. Comece essas mudanças na sua companhia quanto antes!

Uma boa ideia para iniciar  o processo é assinando a nossa newsletter! Assim, sempre receberá conteúdos interessantes, diretamente na caixa de entrada do seu e-mail.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *