Conexão cérebro x intestino: você sabia que afeta o rendimento profissional e pessoal?

Conexão cérebro x intestino: você sabia que afeta o rendimento profissional e pessoal?

O intestino possui uma conexão com o cérebro pois está diretamente ligado com o encéfalo através do nervo vago.

O intestino exerce muita influência no nosso humor do dia a dia, no apetite, energia, emoções, atitudes, reação ao estresse, aprendizado e memória.

Aproximadamente 90% da produção de serotonina do organismo, responsável pelo nosso humor, sensação de bem-estar, prazer e felicidade, é realizada no intestino por meio da microbiota.

Assim, até mesmo uma doença intestinal pode levar à depressão, desanimo, queda de rendimento, falta de energia.

Uma maneira mais complexa para definir o que é a microbiota intestinal, também chamada de flora intestinal, é: ela é um conjunto de espécies de micro-organismos (não só bactérias) que vivem no trato gastrointestinal humano.

Temos micro-organismos bons e ruins, o que não podemos ter é um desequilíbrio nesse grupo.

Essas bactérias presentes no sistema digestivo influenciam em distúrbios neurais e condições psicológicas, como depressão e a ansiedade também.

A alimentação impacta diretamente a saúde intestinal, fator importantíssimo para o equilíbrio emocional

Pelo nosso intestino, ao longo da vida, passam até 9 toneladas de bolo fecal.

Muito conteúdo bom, porém, também muitas toxinas que ali podem ficar paradas por dias dependendo da qualidade da sua microbiota intestinal e funcionamento intestinal.

Quando a alimentação é equilibrada e o organismo recebe os nutrientes de que precisa, as bactérias boas se proliferam.

É o que chamamos de flora intestinal.

Quando a microbiota presente no intestino está desequilibrada, todos os órgãos sofrem, inclusive o cérebro.

Seguem algumas dicas de como manter a saúde intestinal

– Mantenha uma alimentação saudável, a base de comida de verdade e baixo consumo de alimentos ultraprocessados;

– Consuma alimentos ricos em fibras, como cereais integrais, feijões, frutas, verduras e legumes. Alimentos ricos em fibras prebióticas, como chicória, alho, cebola, chuchu, biomassa de banana verde, entre outros, são bem vindos por nutrirem as boas bactérias do intestino;

– O uso de alimentos fermentados como iogurtes, coalhada, kefir, kombuchá, ajudam no equilíbrio da microbiota intestinal. Eles possuem bactérias benéficas (probióticos). Em alguns casos, suplementos podem ser indicados;

– Beba água e mantenha boa hidratação;

– Prefira alimentos fontes em gorduras mono e polinsaturadas, as chamadas gorduras saudáveis, como azeite de oliva, castanhas, abacate, peixes… ao invés de fontes em gorduras saturadas e trans;

– Evite o consumo abusivo de álcool;

– Pratique exercícios regularmente. Estudos também mostram os efeitos benéficos da atividade física sobre o equilíbrio do intestino;

– Tenha uma boa noite de sono;

– Cuide de suas emoções.

Gostou das dicas que apresentamos neste conteúdo? Assine nossa newsletter e fique por dentro de todas as novidades!

Nutricionista: Thaís Alves
CRN: 52770

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *