Como a gestão de benefícios ajuda o RH na otimização dos resultados?

Vivemos na era do chamado RH 4.0, que como você deve saber, se formou após a ascensão tecnológica nas empresas, modificando as atividades do setor. A gestão de benefícios, por exemplo, é algo que passou a ter muito mais valor para as companhias.

Os trabalhadores, hoje em dia, não ficam em uma empresa apenas por um salário justo. Eles querem se sentir valorizados, fazer parte da organização. Para que isso aconteça, a gestão de benefícios é uma verdadeira aliada.

Quer saber como a gestão de benefícios ajuda o RH na otimização de resultados? Então é só seguir a leitura nos tópicos apresentados na sequência!

Gestão de benefícios: entendendo o conceito

A gestão de benefícios nada mais é do que a atividade que gerencia as vantagens oferecidas aos colaboradores das empresas. Esse trabalho tem início ainda quando as companhias fazem pesquisas para buscarem quais são os incentivos que mais agregam para o seu público interno.

Esse trabalho é feito geralmente pelo setor de RH, que em alguns momentos também pode contar com o suporte do time de comunicação interna ou endomarketing. Ele serve para que os funcionários se sintam motivados a trabalhar na empresa e a rotatividade seja diminuída.

Otimização dos resultados no RH: a gestão de benefícios como aliada

Entendido o conceito de gestão de benefícios, é chegado o momento de você compreender como essa prática pode ser uma aliada para a obtenção de resultados positivos para o RH da sua empresa. Listamos os principais deles. Veja!

Diminuição do turnover

O turnover é um grande problema para as empresas. Isso se justifica porque contratar novos funcionários sai caro. É preciso dispor de tempo para divulgar vagas, fazer processos de entrevistas e treinamentos etc.

Além disso, os novos colaboradores demoram para “engrenar” na companhia. Eles precisam aprender todo o processo e isso leva tempo para acontecer. Por isso, é preciso investir em meios para que o turnover seja evitado.

Quando o colaborador recebe benefícios, ele pensará bem antes de sair de uma empresa. Não é qualquer diferença pequena no salário que fará com que uma pessoa abandone um lugar onde se sente bem. Por isso, a gestão de vantagens faz com que o turnover diminua.

Facilidade para implementação do endomarketing

Endomarketing nada mais é do que “fazer o marketing para dentro”. Assim como a empresa vende uma imagem para os seus clientes e a comunidade em geral, o mesmo pode ser feito para os colaboradores da companhia.

O objetivo do endomarketing é fortalecer uma cultura interna baseada na confiança, em que os colaboradores ajudem uns aos outros e assim consigam construir um trabalho sólido e de qualidade.

A gestão de benefícios é um braço do endomarketing e, juntamente com outras ações, possibilita a criação de uma imagem positiva da empresa para os seus funcionários.

Melhora do clima organizacional

Como gestor de RH você deve saber que os problemas entre colaboradores são graves para as companhias. Fofocas, rumores e boatos espalhados nas conversas de corredor podem fazer mal para a saúde da empresa.

Imagine a seguinte situação: uma dona de casa compra várias frutas na feira e coloca todas em uma vasilha. Porém, ela não percebeu que um dos frutos estava podre. Qual é o resultado dessa falha em curto prazo?

É bem provável que a fruta podre contamine as demais, que também apodrecerão, fazendo com que a dona de casa tenha um prejuízo maior ainda, concorda? O mesmo acontece nas empresas! Um trabalhador insatisfeito pode criar rumores, inventar histórias e “contaminar” os colegas com a sua desmotivação.

Ao praticar uma boa gestão de benefícios, você evitará que os frutos “apodreçam”. Assim, o clima organizacional melhorará, tornando-se mais produtivo e colaborativo.

Diminuição das faltas

As taxas de absenteísmo nas empresas costumam ser altas quando os colaboradores não estão motivados para trabalhar. Sabemos que as organizações funcionam como uma máquina, como descreve metaforicamente o teórico Gareth Morgan.

Assim sendo, cada funcionário é visto como uma peça. Se uma peça para, todo o mecanismo para. Por isso, as faltas ao trabalho são graves e podem causar muitos prejuízos para as empresas.

Com a gestão de benefícios bem estruturada, os funcionários se sentirão bem no trabalho e valorizarão a empresa, uma vez que se sentem valorizados por ela. O absenteísmo, portanto, tende a diminuir.

Redução do número de colaboradores afastados por doença

As doenças ocupacionais de cunho psicológico, como o estresse, o burnout, a ansiedade e a depressão podem fazer com que os funcionários precisem se afastar da companhia. Eles precisam realizar os seus tratamentos e, muitas vezes, os médicos recomendam o repouso do corpo e da mente.

As patologias de cunho ocupacional, embora não estejam ligadas diretamente à satisfação do colaborador, tendem a diminuir quando uma pessoa se sente bem na empresa em que trabalha. Logo, a gestão de benefícios também pode colaborar nesse sentido.

Busca por aperfeiçoamento no trabalho

Ao criar uma política de benefícios, a empresa pode trabalhar com metas. Os colaboradores terão acesso a uma vantagem X se demonstrarem aperfeiçoamento no trabalho, por exemplo.

Esse aperfeiçoamento pode ser a realização de um curso, a criação de uma nova ideia para ser aplicada na empresa, uma meta atingida etc. Tudo isso trará melhorias para a companhia, que terá profissionais mais qualificados e motivados para o desenvolvimento das atividades.

A gestão de benefícios ajuda o RH a ter mais otimização nos resultados. Por isso, busque por meios para tornar isso uma realidade na sua companhia. As vantagens não serão apenas para os colaboradores, mas também para os recursos humanos e a administração da organização.

Quer continuar se informando? Então baixe agora o nosso “Guia prático do RH 4.0: as principais tendências para 2020”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *