O Papel da Gestão de RH em meio a Pandemia

Você já parou para pensar no papel do RH no gerenciamento de crises? É preciso estar preparado para momentos inesperados, como é o caso da atual pandemia de coronavírus, que gera preocupação no mundo todo.

Infelizmente, são poucas as empresas que estão preparadas para momentos como esse, já que se trata de algo imprevisível e que está fora do nosso alcance evitar totalmente. 

No entanto, é papel do RH manter uma boa relação com os colaboradores das companhias e fazer um “meio de campo” até que a crise seja contornada.

A ideia deste artigo é apresentar para você qual é o papel do RH em situações controversas como a atual, e seguir nossa série especial de artigos para auxiliar nesse momento delicado. Continue a leitura e obtenha mais informações!

Passo a passo para o gerenciamento de crises no RH

1º passo: conheça a legislação vigente

Quando uma crise surge, a primeira coisa que deve ser observada é o que diz a legislação vigente. Isso é importante para que todas as decisões tomadas tenham embasamento jurídico e sejam feitas dentro da legalidade.

No caso da pandemia de coronavírus, uma das legislações que deve ser observada é a Lei nº 13.979, sancionada em 6 de fevereiro de 2020, pelo presidente Jair Bolsonaro. Ela conta com uma lista de procedimentos de emergência relacionados ao vírus.

Entre outras coisas, a Lei esclarece os conceitos de isolamento e quarentena. Conhecer sobre isso é necessário para que o RH saiba como prestar suporte aos seus colaboradores em ambos os casos.

De acordo com a legislação, isolamento é a separação de pessoas doentes ou contaminadas do convívio social. 

Já a quarentena é a restrição de atividades ou separação de pessoas suspeitas de contaminação, das que não estão doentes.

2º passo: mantenha os funcionários sempre informados

Também é importante que você mantenha os seus funcionários sempre muito bem informados em gerenciamento de crises. Isso porque, quando esse tipo de situação acontece, é normal que comecem a correr boatos e fofocas sobre o que acontecerá com a empresa.

Para evitar problemas de imagem, a companhia deve agir sempre com transparência. Na atual situação, com a pandemia de coronavírus, explique aos colaboradores as medidas que serão tomadas, para evitar pânico.

Muitas pessoas estão com medo de perderem os seus empregos, caso a situação permaneça como está por muito tempo. Por isso, é importante esclarecer cada passo que será dado, apaziguar os ânimos e evitar que isso se torne um problema de saúde mental para os colaboradores.

3º passo: defina novas modalidades de trabalho

Em casos de pandemias, como a atual, a recomendação é que as pessoas fiquem em casa, evitem sair sem necessidade e jamais fiquem em locais com aglomerações. Desse modo, definir novas modalidades de trabalho, como o home office, é uma necessidade.

A empresa precisa estar preparada para esse tipo de situação e oferecer as ferramentas necessárias para a execução do teletrabalho. 

Existem diversos aplicativos e recursos gratuitos de comunicação e computação em nuvem, que podem ser utilizados. É o caso do Trello, do Slack, das plataformas de videoconferência, entre outros.

4º passo: crie um ambiente de trabalho saudável

Existem situações em que não é possível que os colaboradores trabalhem em casa. É o caso dos estabelecimentos de saúde, farmácias, supermercados, entre outros. 

Nessas situações, o mais recomendado a ser feito é a criação de um ambiente de trabalho saudável, em que os funcionários se sintam protegidos.

As empresas ou setores que não podem parar de trabalhar em suas sedes durante a pandemia de coronavírus, por exemplo, devem se preparar adequadamente para essa situação. 

Devem ser disponibilizados álcool em gel para os colaboradores, além de aumentar a quantidade de sabonete líquido nos banheiros, para que seja feita a devida higienização das mãos.

Em linhas de produção, caixas de supermercado e balcões de farmácias, devem ser tomadas medidas para que as pessoas fiquem pelo menos com 1 metro e meio de distância umas das outras.

5º passo: verifique os colaboradores que podem ser liberados do trabalho

Ao fazer um gerenciamento de crise, também é papel do RH verificar se existem colaboradores que podem ser liberados do trabalho. 

Pessoas que estão no grupo de risco, por exemplo, devem ser afastadas, mesmo que o seu trabalho não possa ser realizado no esquema de home office.

No caso do coronavírus, fazem parte do grupo de risco os idosos e portadores de doenças respiratórias, pulmonares ou infecciosas. É importante que colaboradores com essas características sejam resguardados, por serem mais vulneráveis, caso sejam contaminados.

6º passo: dê assistência para os colaboradores doentes

Na atual pandemia de coronavírus, não é difícil que algum colaborador da sua empresa fique doente, por mais que os cuidados sejam tomados. 

Afinal, trata-se de um problema de saúde pública e a prevenção é coletiva. Infelizmente, nem sempre podemos contar com o bom senso das outras pessoas!

Se acontecer de um de seus colaboradores ficar doente, é essencial que ele seja liberado do trabalho. Pessoas que talvez tenham ficado próximas a ele, também devem ficar de quarentena, até confirmarem que não estão contaminadas com o coronavírus.

O principal papel do RH, em casos de crises como a que vivemos atualmente, é prestar o máximo de suporte aos colaboradores. A empresa deve mostrar que está ao lado de seus funcionários e que todos, unidos, conseguirão mais resultados positivos no combate ao coronavírus.

Se este conteúdo foi útil para você, assine a nossa newsletter! Assim poderemos enviar mais materiais relevantes como o que acabou de ler, diretamente para o seu e-mail.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *