6 erros de People Analytics que sua empresa precisa evitar

6 erros de People Analytics que sua empresa precisa evitar

Existem alguns erros de People Analytics que são muito comuns de serem cometidos pelas empresas que adotam esse tipo de estratégia. 

Cada vez mais presente nas organizações, o uso de dados para gestão de pessoas é extremamente útil para o setor de recursos humanos e outras áreas. 

No entanto, para que se possa tirar o máximo de proveito da estratégia, deve-se ter cuidado para não cometer falhas. 

Veja 6 erros de People Analytics que a sua empresa deve evitar

Fizemos uma lista com os principais erros de People Analytics que as empresas cometem.

A nossa ideia é fazer com que você entenda como evitar que isso aconteça na sua companhia. Veja, a seguir!

1. Não fazer a preparação dos dados corretamente

Se você observar o passo a passo para executar uma estratégia de People Analytics, verá que a primeira coisa que se deve fazer é preparar os dados que serão utilizados.

Porém, é bastante comum que as empresas não prestem atenção nessa etapa, fazendo com que as falhas ocorram em todo o processo.

É preciso ter em mente que, qualquer erro simples, como a inserção de um número errado em um formulário, pode trazer resultados equivocados.

É por isso que se deve ter muito cuidado para evitar que isso aconteça.

Utilizar softwares que automatizam a coleta de dados, por meio de ferramentas de Big Data, é o mais recomendado.

Porém, quando isso não for possível e a inserção for manual, deve-se revisar tudo com muita cautela, antes de submeter as informações cadastradas.

2. Ausência de objetivos no momento da coleta de dados

Entre os erros comuns do People Analytics também está a ausência de objetivos no momento da coleta de dados.

De nada adianta coletar informações se você não sabe o que fazer com elas. Caso isso ocorra, apenas estará desperdiçando tempo da equipe.

Ao estruturar uma estratégia de People Analytics, antes de coletar os dados, é preciso saber o que fazer com eles.

Você pretende criar um banco de talentos otimizado para os processos de recrutamento e seleção?

Quer criar  uma política de cargos e salários mais justa na empresa?

Tudo isso precisa ser considerado antes de se iniciar a captação de informações.

3. Não respeitar a legislação

Também é preciso ter todos os cuidados necessários para respeitar a legislação ao estruturar uma estratégia de People Analytics. Isso é importante para evitar problemas futuros, como multas e processos.

No Brasil, recentemente foi sancionada a Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD). Essa legislação empodera as pessoas e empresas em relação aos seus dados.

Isso quer dizer que cada um de nós é dono de informações como o nosso nome completo, o número do telefone, o endereço em que moramos, entre outros.

De tal forma, as empresas só podem coletar e armazenar dados de seus funcionários, de profissionais interessados em fazer parte do banco de talentos ou de qualquer outra pessoa com a devida autorização.

Caso isso não aconteça, a organização estará descumprindo a legislação.

As multas para quem não cumpre a LGPD são altas. O valor é bem expressivo e é por isso que vale muito a pena seguir tudo à risca, para evitar as penalidades.

4. Ter uma equipe despreparada

Apesar de usar recursos de inteligência artificial, o People Analytics também necessita de mão-de-obra humana.

É necessário que você conte com uma equipe preparada para usar a tecnologia, sabendo como alimentar o sistema com dados e fazer o cruzamento das informações, por exemplo.

Além disso, também é preciso que os colaboradores do setor de RH saibam como interpretar dados.

Apenas os números sozinhos não significam nada, eles precisam ser analisados e contextualizados, para que assim possam ser utilizados da melhor maneira, cumprindo com os objetivos desejados.

5. Ser resistente às novidades

Também é um erro implementar o People Analytics em empresas que são resistentes às novidades, com uma cultura organizacional muito fechada.

A ideia desse tipo de estratégia é justamente otimizar tarefas e desenvolver mudanças para que se tenha mais resultados positivos em todas as áreas  que envolvem pessoas.

No entanto, quando se tem muita resistência à mudança e não se entende a cultura como algo cíclico, os problemas acontecem.

Logo, antes de se iniciar um projeto de People Analytics, é necessário fazer mudanças nas diretrizes organizacionais, caso elas sejam muito conservadoras.

6. Não ter paciência para os resultados

As estratégias de People Analytics dependem da alimentação por dados para que os resultados sejam visíveis.

É preciso que as coisas aconteçam, para que sejam registradas e gerem dados, não se trata de algo que fica pronto de um dia para o outro.

Ou seja, é preciso ter paciência para que se comece a observar as mudanças que os processos trazem para as empresas.

Quando a companhia é muito impaciente, desiste do People Analytics no meio do processo e assim, obviamente, os objetivos estabelecidos não são alcançados.

Esses são os 6 erros de People Analytics que são mais comuns de serem cometidos pelas empresas que adotam esse tipo de estratégia. Agora que já os conhece, tome cuidado para não cometê-los e deixar de ter êxito na sua companhia.

Se este conteúdo foi útil para você, certamente vai gostar de nossas outras produções. Assine a nossa newsletter e sempre receba os artigos do nosso blog, em primeira mão, na caixa de entrada do seu e-mail.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *